quarta-feira, 15 de julho de 2009

Ucker conta os seus segredos

Recém estreado em carreira solo, o ex-integrante de RBD, Christopher Uckermann chegou nos chats de Premios Juventud, com todo o seu charme que o colocou como um dos latinos mais belos, para falar de seus segredos, seus apelidos, seu novo disco e até do filme que prepara sobre o terremoto de 1985 no México.

Ele é: Mann, Ucker-Mann
Haverá vídeo da música Light Up The World Tonight?
Esse tema compus no ano passado e o cantei nas últimas apresentações do RBD, mas um vídeo oficial não haverá. Por aí há um vídeo na Internet, mas é o único.

Lugar para viver longe dos paparazzis?
México.

Alguns detalhes de seu filme sobre o terremoto de 1985 no México?
No ano passado estava na busca de um roteiro e encontrei um grande roteiro que fala da união que se deu entre os mexicanos, algo que não se via desde a revolução mexicana e de como as pessoas mesmo feridas internamente se uniram. A personagem é um palhaço que se dedica a fazer as crianças rirem.

Agora que está no cinema, a quem preferiria como protagonista, a Maite, Dulce ou Anahí?
Não sou o diretor, pois é um projeto muito grande, mas as três são boas atrizes e teria que vê-las para ver qual poderia fazer.

Vestiário para o tapete azul?
É um traje retro azul com branco. Eu gosto de experimentar muitas coisas, mesmo que depois me critiquem, mas não importa.

Você está indicado em várias categorias do PJ como a de 'Que rico se mueve', na qual você compete contra Chayanne, Ricky Martin e Dulce María Você se move melhor que eles?
É diferente, Chayanne, Ricky Martin, cada um tem seu estilo e tomara que eu ganhe, mas se não, tudo bem.

Também está na categoria de 'Está buenisimo'. Você gostaria de ganhá-lo?
Sim, gostaria de ganhá-lo porque é a mostra do apoio do público e também de estar entre esses grandes amigos. Portanto, sim eu gostaria.

Que elogio você lembra que te pôs nervoso?
'Pompas de ouro' me disseram no Brasil e me dá riso, faz tempo que Christian me disse, e desde ai ficou. Eu acho que a todos nos agarraram as nádegas em algum momento, mas tudo bem.

O que lembra de Michael Jackson?
É uma grande influência musical, mais que vê-lo como figura comercial, ter trabalhado com Quincy Jones, que é um gênio da música, e a mente que tinha MJ. Talvez o criticaram, mas eu o apoio porque teve sonhos muito além de sua época.

Fonte: Univision.com / ChristopherUckermann.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário